terça-feira, 31 de maio de 2011



"Só digo o que penso,
só faço o que gosto
e aquilo que creio.
E se alguém não quiser entender
e falar pois que fale.
Eu não vou me importar com a maldade
de quem nada sabe."
     (Maysa)

"Eu não sou tão forte quanto eu previa, nem tão fraca quanto eu temia. 
Não tenho o passo rápido como eu gostaria, nem paraliso como poderia. 
Aprendi a me equilibrar nos extremos. 
Se não tenho o direito de escolher todos os acontecimentos, me posiciono de acordo com os fatos. 
No final, o que me move não é forte o suficiente pra me derrubar, 
mas é intenso o bastante pra me fazer ir além. "
(Fernanda Gaona)

“Dor não tem nada a ver com amargura.
Acho que tudo que acontece  
é feito pra gente aprender cada vez mais, 
é pra ensinar a gente a viver. 
Desdobrável. 
Cada dia mais rica de humanidade”

(Adélia Prado)

"Ma belle, viver bem não é para amadores. 
Puxe para si a responsabilidade de encerrar de vez essa inimizade estéril, esse desgaste emocional tão nocivo à pele e ao humor. Você não é uma menina, é uma mulher. E uma mulher deve saber discernir o que é, de fato, uma derrota e uma vitória. 
Derrota é quando a gente ganha dos outros, 
mas desiste de si mesma.”
(Martha Medeiros)

"Mas a mim não importava o que se fora. 
Queria o passo à frente."
(Caio F. Abreu)

segunda-feira, 30 de maio de 2011


"Continuo amando a DEUS,
mesmo quando os "milagres" que eu imploro não acontecem.
Continuo
acreditanto em DEUS,
mesmo quando os pedidos que faço em minhas orações não são atendidos.
Pois os milagres que imploro, e os pedidos que faço,se baseiam em minha vontade,
e DEUS não está aqui para me dar o que eu desejo.
DEUS está aqui para me dar o que eu preciso."
(Pe Fábio de Melo) 

"Pessoas maduras sabem que toda mágoa é peso morto:
 faz de conta que eu não sofro. 
Ninguém sabe direito o que é felicidade, mas, definitivamente, não é acomodação."
(Martha Medeiros)

"O maior obstáculo para eu ir adiante: eu mesma.
Tenho sido a maior dificuldade no meu caminho.
É com enorme esforço que consigo me sobrepor a mim mesma."
(Clarice Lispector)

"Eu me recuso a amputar meus sentimentos.
Eu nasci para sentir com todos os meus membros."
(Marla de Queiroz)

quinta-feira, 26 de maio de 2011



"O amor nunca morre de morte natural. Añais Nin estava certa.
Morre porque o matamos ou o deixamos morrer.
Morre envenenado pela angústia. Morre enforcado pelo abraço. Morre esfaqueado pelas costas. Morre eletrocutado pela sinceridade. Morre atropelado pela grosseria. Morre sufocado pela desavença.
Mortes patéticas, cruéis, sem obituário e missa de sétimo dia.
Mortes sem sangramento. Lavadas.

Com os ossos e as lembranças deslocados.
O amor não morre de velhice, em paz com a cama e com a fortuna dos dedos.
Morre com um beijo dado sem ênfase. Um dia morno. Uma indiferença. Uma conversa surda. Morre porque queremos que morra. Decidimos que ele está morto.
Facilitamos seu estremecimento.
O amor não poderia morrer, ele não tem fim. Nós que criamos a despedida por não suportar sua longevidade. Por invejar que ele seja maior do que a nossa vida.
O fim do amor não será suicídio. O amor é sempre homicídio.
A boca estará estranhamente carregada.
Repassei os olhos pelos meus namoros e casamentos. Permiti que o amor morresse. Eu o vi indo para o mar de noite e não socorri. Eu vi que ele poderia escorregar dos andares da memória e não apressei o corrimão. Não avisei o amor no primeiro sinal de fraqueza. No primeiro acidente. Aceitei que desmoronasse, não levantei as ruínas sobre o passado. Fui orgulhoso e não me arrependi. Meu orgulho não salvou ninguém.
O orgulho não salva, o orgulho coleciona mortos.
No mínimo, merecia ser incriminado por omissão.
Mas talvez eu tenha matado meus amores. Seja um serial killer. Perigoso, silencioso, como todos os amantes, com aparência inofensiva de balconista.
Fiz da dor uma alegria quando não restava alegria.
Mato; não confesso e repito os rituais. Escondo o corpo dela em meu próprio corpo. Durmo suando frio e disfarço que foi um pesadelo. Desfaço as pistas e suspeitas assim que termino o relacionamento.
Queimo o que fui. E recomeço, com a certeza de que não houve testemunhas.
Mato porque não tolero o contraponto. A divergência. Mato porque ela conheceu meu lado escuro e estou envergonhado. Mato e mudo de personalidade, ao invés de conviver com minhas personalidades inacabadas e falhas.
Mato porque aguardava o elogio e recebia de volta a verdade.
O amor é perigoso para quem não resolveu seus problemas. O amor delata, o amor incomoda, o amor ofende, fala as coisas mais extraordinárias sem recuar. O amor é a boca suja. O amor repetirá na cozinha o que foi contado em segredo no quarto. O amor vai abrir o assoalho, o porão proibido, fazer faxina em sua casa.
Colocar fora o que precisava, reintegrar ao armário o que temia rever.
O amor é sempre assassinado. Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, devemos saber o que fizemos antes com ela."
(Fabrício Carpinejar)
"Um amor precisa de espaço para voar,
liberdade para querer ficar,
alegria e algum desassossego."

(Lya Luft)
"Meu egoísmo  é revelar só um pedaço do que sou, só a parte boa, a mocinha da história. Tenho, dentro de mim, um elenco de coadjuvantes que não deixo que brilhem, que não dão autógrafos nem saem nas capas de revista . Egoísta . Poupando o mundo do meu lado sórdido, que costuma ser o mais interessante."
(Clarice Lispector)

É fácil amar o outro na mesa de bar...

"É fácil amar o outro na mesa de bar, quando o papo é leve, o riso é farto, e o chope é gelado.
É fácil amar o outro nas férias de verão, no churrasco de domingo, nas festas agendadas no calendário do de vez em quando.
Difícil é amar quando o outro desaba. Quando não acredita em mais nada. E entende tudo errado. E paralisa. E se vitimiza. E perde o charme. O prazo. A identidade. A coerência. O rebolado.
Difícil amar quando o outro fica cada vez mais diferente do que habitualmente ele se mostra ou mais parecido com alguém que não aceitamos que ele esteja.
Difícil é permanecer ao seu lado quando parece que todos já foram embora. Quando as cortinas se abrem e ele não vê mais ninguém na plateia. Quando o seu pedido de ajuda, verbalizado ou não, exige que a gente saia do nosso egoísmo, do nosso sossego, da nossa rigidez, do nosso faz-de-conta, para caminhar humanamente ao seu encontro.
Difícil é amar quem não está se amando.
Mas esse talvez seja, sim, o tempo em que o outro mais precisa se sentir amado. Eu não acredito na existência de botões, alavancas, recursos afins, que façam as dores mais abissais desaparecerem, nos tempos mais devastadores, por pura mágica. Mas eu acredito na fé, na vontade essencial de transformação, no gesto aliado à vontade, e, especialmente, no amor que recebemos, nas temporadas difíceis, de quem não desiste da gente."
(Ana Jácomo)


"Ninguém tem que buscar a si mesmo.
A gente só tem que aprender a não se rejeitar.
Se dar colo, aprender a receber afeto, querer afeto e saber que não virá aquela hora. A gente tá ali dentro o tempo todo, mas é preciso se olhar com olhos amorosos.
Porque fazemos o que podemos diante do que sentimos.
E há sempre uma forma de ser e estar além.
Quando dói nada disso faz sentido. Mas um dia faz. E funciona."
(Marla de Queiroz)

quarta-feira, 25 de maio de 2011


"Sabe qual a coisa mais triste da traição? 
Ela nunca vem de um inimigo."
(Cordel Encantado)

"Não puxo saco de ninguém, detesto que puxem meu saco também. Não faço amizades por conveniência, não sei rir se não estou achando graça. 
Odeio dois beijinhos, aperto de mão, tumulto, calor, gente burra e quem não sabe mentir direito." 
(Caio F. Abreu)

terça-feira, 24 de maio de 2011



''Coisa bem bolada essa dos braços se encaixarem. 
Uma possibilidade tão perfeita que parece que já foram imaginados também com esse propósito. 
Mas o melhor do abraço não é a idéia dos braços facilitarem o encontro dos corpos. 
O melhor do abraço é a sutileza dele. 
A mística dele. A poesia. 
O segredo de literalmente aproximar um coração do outro para conversarem no silêncio que dá descanso à palavra.
 O silêncio onde tudo é dito sem que nenhuma letra precise se juntar à outra. 
O melhor do abraço é o charme de fazer com que a eternidade caiba em segundos. 
A mágica de possibilitar que duas pessoas visitem o céu no mesmo instante.''

(Ana Jácomo)

"Ah, se eu pudesse escrever com os olhos, com as mãos, com os cabelos
Com todos esses arrepios estranhos que um entardecer de outono, como o de hoje, provoca na gente..."
(Caio F. Abreu)

segunda-feira, 23 de maio de 2011

"Não vou parar de sonhar,
mesmo quando tudo
parecer difícil, mesmo cansada,
mesmo que eu
fraqueje, chore, ou sinta dor...
Os sonhos são meus,
não vou desistir jamais...
Aprendi que posso tudo
a partir do momento
que eu desejar com o coração!"
(Cíntia Gasparetto)
 "O que eu fui ontem, anteontem, já é memória.
Escada vencida degrau por degrau, mas o que eu sou neste momento é o que conta!
Minhas decisões valem somente para agora...
Hoje é o meu dia, nenhum outro".
(Martha Medeiros)


"E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará. A moça levanta e segue em frente. Não por ser forte, e sim pelo contrário... por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência. E ama..."

(Caio F. Abreu)



"A autenticidade morreu? Morreu nada. Me recuso a acreditar que está todo mundo burro. Não estou idealizando uma sociedade heterogênea: ela é heterogênea de fato. Chega de insistir nessa ideia que todos são fúteis, que a sociedade apodreceu. Há muita gente por aí, uma infinidade de cabeças boas que curtem um pôr do sol, que estão se lixando para prazeres falsificados e que valorizam a paz de espírito antes de qualquer coisa. Chega desses desenganos públicos que viram pauta jornalística, chega desse apocalipse moral vendido como regra. Há muitos estúpidos entre nós, mas eles ainda não são ´todo mundo´."

sábado, 21 de maio de 2011



"Sumi porque só faço besteira.
Em sua presença,
fico mudo quando deveria verbalizar, digo um
absurdo atrás do outro quando melhor seria silenciar,
faço brincadeiras de mau gosto e sofro
antes, durante e depois de te encontrar.
Sumi porque não há futuro e isso não é o mais
difícil de lidar, pior é não ter presente e
o passado ser mais fluido que o ar.
Sumi porque não há o que se possa resgatar,
meu sumiço é covarde mas atento, meio fajuto
meio autêntico, sumi porque sumir é um jogo de
paciência, ausentar-se é risco e sapiência,
pareço desinteressado, mas sumi para estar para
sempre do seu lado, a saudade fará mais
por nós dois que nosso amor e sua
desajeitada e irrefletida permanência."
(Martha Medeiros)


"Eu me sinto às vezes tão frágil, queria me debruçar em alguém, em alguma coisa.
Alguma segurança. Invento estorinhas para mim mesmo, o tempo todo, me conformo, me dou força. Mas a sensação de estar sozinho não me larga."
(Caio F. Abreu)

"Me poupe do trabalho de adivinhar seus pensamentos.
Diga que me quer apenas quando for verdade.
Eu não vou te pedir nada.
Não vou te cobrar aquilo que você não pode me dar.
Mas, quando estiver comigo, seja TODO você.
Corpo e alma.
Por favor, não me apareça pela metade."
(Caio F. Abreu)

quinta-feira, 19 de maio de 2011


''Sentar, ambos, de frente pra lua, havendo lua, ou de frente pra chuva, havendo chuva, e juntos fazerem um brinde com as taças, contenham elas vinho ou café, a isso se chama uma trégua. Uma relação calma entre duas pessoas que, sem se preocuparem em ser modernas ou eternas, fizeram uma da outra seu lugar de repouso.''
(Martha Medeiros)


“Tenho admiração nata por quem segue o coração.
 Eu acredito nas pessoas livres. 
Liberdade de ser.
 Coragem boa de se mostrar.
 Dar a cara a tapa! 
Ser louca, estranha, linda, chata!
 Eu sou assim. 
Tenho um milhão de defeitos. 
Sou volúvel. 
Tenho uma TPM horrivel.
 Sou viciada em gente. 
Adoro ficar sozinha.

 Mas eu vivo para sentir.”
(Fernanda Mello)

''Mais tarde eu saberia que certas experiências se partilham – até mesmo sem palavras – só com gente da mesma raça.
O que não significa nem cor nem formato de olho nem tipo de cabelo, mas o indefinível parentesco da alma.''
(Lya Luft)
"Então delete, tudo aquilo que não valeu a pena. Quem mentiu, quem enganou seu coração, quem teve inveja, quem tentou destruir você, quem usou máscaras, quem te magoou, quem te usou e nunca chegou a saber quem realmente você é."

(Caio F. Abreu)

segunda-feira, 16 de maio de 2011



"Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz... "


(Caio F. Abreu)

"Mas enfim, existem coisas que somente o coração é capaz de explicar e ás vezes não adianta só virar a página, muitas vezes precisamos rasgá-la!"

(Tati Bernardi)
"Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. 
Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. 
Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não,  espontaneamente, mas nunca por força de imposição. 
Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue; outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. 
Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. 
Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. 
Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho... o de mais nada fazer." 
(Clarice Lispector)



"Ah, mas tudo bem. Em seguida
todo mundo se acostuma.
As pessoas esquecem umas das outras
 com tanta facilidade.
Como é mesmo que minha mãe dizia?
Quem não é visto não é lembrado.
Longe dos olhos, longe do coração. Pois é."
(Caio Fernando Abreu)


"Não sabia que era precisamente esse fracasso
que me levaria ao lugar que desejava.
As correntes do rio profundo foram mais
generosas que o meu remar contra elas.
Não cheguei aonde planejei ir.
Cheguei, sem querer, aonde meu coração
queria chegar, sem que eu o soubesse."
(Rubem Alves)

domingo, 15 de maio de 2011



"Você é quem decide o que vai ser eterno em você, no seu coração.
Deus nos dá o dom de eternizar em nós o que vale a pena, e esquecer definitivamente aquilo que não vale..."

(Pe Fábio de Melo)

Ser feliz não custa nada?!?"

Quem inventou essa frase estava totalmente equivocado, porque ser feliz custa sim!
Custa muito dos seus esforços, custa parte dos seus sorrisos, 
custa um pouco de disposição e custa tudo que você ainda tem guardado de ilusão.
Eu sei que parece clichê, mas se engana quem pensa que a felicidade cai no colo 
ou vem embrulhada e com laço de enfeite. 
Ser feliz custa caro e só acontece pra quem não mede esforços. 
Para aqueles que sabem que reclamar é mais prático, mas escolhem agradecer porque é mais gratificante."

(Fernanda Gaona)

"Em muitos trechos do caminho, às vezes bem longos, carregamos muito peso na alma sem também notar.
A gente se acostuma muito fácil às circunstâncias difíceis que às vezes podem ser mudadas.
A gente se adapta demais ao que faz nossos olhos brilharem menos.
A gente camufla a exaustão.
A gente inventa inúmeras maneiras para revestir o coração com isolamento acústico para evitar ouvi-lo.
A gente faz de conta que a vida é assim mesmo e ponto.
A gente arrasta bolas de ferro e faz de conta que carrega pétalas só pra não precisar
fazer contato com as nossas insatisfações e agir para transformá-las.
A gente carrega tanto peso, no sentimento, um bocado de vezes, porque resiste à mudança.
Até o dia em que a alma, cansada de não ser olhada, encontra o seu jeito de ser vista e de dizer quem é que manda."

(Ana Jácomo)




"A vida deve ser composta de momentos verdadeiros
Que quando lembrados provocam suspiros.
Feita de dias que fazem tudo valer a pena
Mesmo que aconteça exatamente o oposto ao que foi planejado.
A rotina só cria outra cara,
Só veste outra roupa,
Quando nossos olhos vão em busca de alimento pra alma
Ao invés de esperar que alguém mate nossa fome.
É nessa hora que a gente alcança o que ninguém pode ver!"

(Fernanda Gaona)


"Depois de anos acariciando as dores que me deixaram partida,

finalmente as deixei partir.
E fiquei inteira."

(Fernanda Gaona)

sábado, 14 de maio de 2011



"Você vai crescer, vai ficar adulto, vai aprender que deve ser um homem sério. Mas um dia vai descobrir de novo que as melhores coisas da vida não servem para nada. Que o melhor da vida é contar estrelas, histórias, piadas. 
Que a inutilidade é mesmo uma delícia."

(Cris Guerra)
"Aqui não. Não adianta amar baixinho, reduzir os silêncios, mudar o canto, a voz e a rima. Não adianta trocar os discos, o tom, a cor, esquecer a letra, esticar os passos ou pular a trilha. Não adianta.
O tempo quando quer seguir sozinho, dispensa atalhos, ajustes e só desafina."
(Priscila Rôde)


"(...) E então eu assumiria as conseqüências, não importam quais fossem. O nomezinho disso: vida. É sempre uma incógnita, portanto não vale a pena tentar fugir das decepções ou dos êxtases, eles nos assaltarão onde estivermos. Se você for uma garota boba como eu fui, acorde. Ninguém é muito areia pra ninguém. Pessoas aparentemente especiais se apaixonam por outras aparentemente banais e isso não é um trote, não é uma pegadinha, não é nada além do que é: um inesperado presente da vida, que todos nós merecemos."
(Martha Medeiros)


"E dizer coisas que não podem ser ditas.
É tão silencioso...
Como traduzir o silêncio do encontro real entre nós dois?
Dificílimo contar.
Olhei pra você fixamente por instantes.
Tais momentos são meu segredo.
Houve o que se chama de comunhão perfeita.
Eu chamo isto de estado agudo de felicidade."
(Clarice Lispector) 


"Louca do tipo desvairada; briguenta de tô de mal pra sempre; durmo treze horas seguidas; meus amigos são semi-irmãos; meus amores são sempre eternos e meus dramas, mexicanos!"
(Clarice Lispector)
"Eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre vírgulas, aspas, reticências."
(Caio F. Abreu)




"Todas as escolhas têm perdas. Quem não estiver preparado para perder o irrelevante, não estará apto para conquistar o fundamental"
(Augusto Cury)

"Porque amor é justamente isso,
é ficar inseguro, é ter aquele medo de perder
a pessoa todo dia, é ter medo de se perder todo dia.
É você se ver mergulhado, enredado,
em algo que você não tem mais controle…"
(Fabrício Carpinejar)


sexta-feira, 13 de maio de 2011



"No fim destes dias encontrar você que me sorri, que me abre os braços, que me abençoa e passa a mão na minha cara marcada, na minha cabeça confusa, que me olha no olho e me permite mergulhar no fundo quente da curva do teu ombro. 
Mergulho no cheiro que não defino, você me embala dentro dos seus braços e você me beija e você me aperta e você me aquieta repetindo que está tudo bem, tudo, tudo bem."
(Caio F. Abreu)